Conto dos Últimos Encontros (10/08/11 e 24/08/11)

Galerinha, primeiro desculpa por demorar com os novos artigos, mas foi falha minha mesma “mea culpa”.

(10/08/11)

          Ingerindo a poção, uma energia tomou conta do paladino, revigorando suas forças além das naturais (ganhou uma cura completa e um pulso de cura extra) e então os aventureiros saíram do cubo, onde reencontraram o Halfling que havia ficado guardando a entrada. Novamente cavalos alados foram criados e os aventureiros abandonaram a ilha, na qual agora estava chovendo. Ao alçarem vôo, um verme púrpura surgiu por debaixo da terra, mas não foi rápido o suficiente para agarrar os aventureiros os quais logo avistaram uma bela cidade, com altas torres em metal e ainda um rio que lhe servia de fosso, como nos castelos medievais. Em alguns minutos os aventureiros chegaram em Gloamnull, a Cidade da Chuva, terra dos Genasis.

Gloamnull, A Cidade da Chuva

Genasis (Pedra, Água, Ar e Fogo)

Em Gloamnull os aventureiros pediram por pouso e colocaram seus serviços à disposição da guarda local, sendo que conheceram os “pontos turísticos” do local: A torre do feiticeiro Shadar-kai Darmond, o Templo ao demônio Dagon, o centro comercial e a taverna/estalagem do Fogo Aquecido, na qual existe um elemental do fogo aprisionado, que serve de aquecimento para o local. Após o Paladino cortejar a garçonete do local, uma genasi da água, sinais de fogo e sonoros surgiram nas muralhas, indicando uma invasão. Os aventureiros dirigiram-se a uma das muralhas onde conseguiram conter uma orda de gigantes do gelo, devendo-se notar a brilhante participação do bárbaro, o qual não conseguiu sair do lugar após falhar em sussecivos saves. Assim que os gigantes caíram, os aventureiros perceberam que há pouco mais de 300 metros dalí, em outra muralha, um Titan do Gelo tentava entrar na cidade. Deixando seus companheiros para trás, o mago, sozinho, foi encarar o Titan, aproveitando seu poder de disparar múltiplos misseis mágicos.

(24/08/11)

Quando o titan conseguiu derrubar a muralha, o mesmo já estava, e continuou, sendo atingido por vários mísseis e, em fúria, passou a perseguir o mago, conseguindo alcançá-lo e então derrubar o mesmo com poucos golpes. O mago, mesmo em combate corpo-a-corpo, continuou lutando até suas últimas forças. Ao verem o companheiro sendo atacado massivamente pelo Titan, os demais aventureiros rumaram em seu auxílio e conseguiram atrair a atenção do Titan e logo em seguida derrotá-lo, tendo em vista a quantidade gigantesca de dano sofrido pelos mísseis mágicos. Após recurar o fôlego e seus poderes de encontro, os aventureiros então foram até o portão de entrara da cidade e lá perceberam que não havia mais a guarda e quando o bardo se perguntava onde estavam os soldados remanescentes, foram surpreendidos por um Aboleth com seus serviçais, os quais eram genasis tomados pelo domínio do demônio. Em luta, na qual o paladino acertou seu único golpe do dia, atingindo o bárbaro e causando seu dano máximo, quatro dos serviçais foram mortos pelos aventureiros, sobrando assim quatro que caíram em estado de morte, quando da destruição do Aboleth. Um deles não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo antes que os aventureiros pudessem fazer algo. Os outros três, um deles o chefe da guarda da cidade, Barnei, foram salvos.

Aboleth e dois serviçais

Após recuperar as forças, Barnei voltou a integrar as forças armadas e logo voltou para agradecer os aventureios pelo apoio durante a invasão. Retornaram então ao Fogo do Aquecimento e lá ajudaram alguns feridos, sendo que o paladino teve um “afeir” com a tal garçonete. No dia seguinte foram procurados por Barnei, o qual lhes entregou diamantes astrais e ainda disse que os aventureiros poderiam escolher ítens no comércio local, às custas do governo. Passaram o dia na cidade sem maiores intrigas e então no dia seguinte receberam suas passagens para o navio astral e após comprarem os ítens que desejassem, voltaram ao plano material.

Narfell

Chegando no plano material ficaram sabendo que estava novamente ocorrendo o BILDOOBERIS, nas terras de Narfell, e então perceberam que havia passado cerca de oito meses no mundo real quando estiveram um dia na ilha do caos. Lá reencontraram Uliun, o qual feliz com o retorno dos aventureior, confraternizou com eles. O paladino, agora temendo o que poderia haver na poção, procurou pelo pajé da tribo o qual pediu que o paladino fosse em sua tenda durante aquela noite para exames. O pajé realizou alguns rituais e coletou amostra da alma do paladino, sendo que disse que somente depois de analisar a amostra poderia ter certeza do que estava ocorrendo com ele. No dia seguinte ocorreu uma reunião entre os líderes das tribos e seus prepostos, sendo que discutiram sobre a destruição de todas as criaturas, principalmente goblinoides, que estavam habitando a caverna Giantspire, liderados por Maaqua, a qual já havia enfrentado e sido derrotada pelos aventureiros. O bardo então apresentou-se dizendo que ele e seu grupo gostariam então de, depois da limpeza, ocupar a caverna e assim ter uma base de operações no plano material, proposta aceita por Uliun e também pelo chefe da tribo Jiyyd, mas rechaçada pelos demais chefes tribais, principalmente por Tur, chefe da tribo Crell, onde três dos aventureiros já estiveram presos por invasão das terras sagradas de Guecumar. E assim ficou a aventura, até nosso próximo encontro.